terça-feira, 30 de julho de 2013

O Brasil e o Mundo em 1984: País se contagia pelas Diretas Já, Michael Jackson vira Rei do Pop e Índia vive ano temeroso

O Blog Contando a História volta a acionar a máquina do tempo e retorna a 1984, um ano marcante para os brasileiros com as Diretas.


































































Nos primeiros meses de 84 o país foi às ruas para se manifestar pacificamente pedindo eleição direta para presidente. Havia 20 anos que os brasileiros foram proibidos de eleger seus representantes pelo voto devido à ditadura militar. A emenda Dante de Oliveira recebeu forte apoio popular e o primeiro grande comício acontece em 25 de janeiro na Praça da Sé em São Paulo para mais de 300 mil pessoas. A partir daí os comícios foram crescendo e contagiaram o país. No mesmo palanque políticos como Leonel Brizola, Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio Lula da Silva, Franco Montoro, Mário Covas e tantos outros pediam eleições diretas, mas o personagem principal foi Ulysses Guimarães, que ficou conhecido como o Senhor Diretas. No dia 10 de abril mais de 1 milhão de pessoas participaram do comício na Candelária. Seis dias depois mais 1 milhão no Vale do Anhangabaú em São Paulo se reuniam para mais um comício.

Mas toda essa empolgação acabou em frustração na noite de 25 de abril. A Emenda foi votada na Câmara dos Deputados e pra tristeza da nação a emenda não foi aprovada sendo 298 votos a favor, pois faltaram 22 votos para a emenda virar lei.





Apesar da rejeição, o movimento pelas Diretas consagrou Tancredo Neves como o homem a quem os brasileiros depositavam esperanças. Ele concorreria em eleição indireta pelo Colégio Eleitoral com Paulo Maluf do PDS em janeiro de 1985.






Enquanto o Brasil vivia tempos de Diretas a Índia por sua vez teve um ano agitadíssimo. O país virou manchete no mundo pelo atentado ao Templo Dourado de Amitsar ocorrido em junho. No dia 31 de outubro, a primeira ministra Indira Gandhi é assassinada por um guarda costas da facção sikh. Em dezembro um vazamento de gás da Union Carbide liberou o composto químico isocianato de metila, uma substância altamente tóxica. Mais de 4 mil pessoas morreram. Aqui no Brasil um vazamento de gás causou explosões e deixou a Vila Socó de Cubatão em chamas. 93 pessoas morreram e mais de 150 pessoas ficaram feridas fazendo a fama da cidade ficar pior ainda.































Um ano mágico para Michael Jackson. O astro norte americano magnetiza multidões com sua dança, aparece em uma infinidade de capas de revistas pelo mundo, vira o rei da música pop e ganha prêmios. Só de Grammy foram 8, incluindo Álbum do ano com Thriller, composição do ano com Billie Jean, Clip do ano e compositor do ano. No Brasil a Jacksonmania toma conta do país com concursos em programas de auditório onde os candidatos imitavam suas coreografias.



No mesmo ano uma boyband vinda de Porto Rico estourava no país. Os Menudos iniciam a Menudomania fazendo milhares de adolescentes gritarem de idolatria. Ricky Martin, Charlie, Roy, Robbie e Ray fizeram a cabeça das meninas na época.



O astronauta Bruce McCandless fez um voo sobre o espaço em uma missão da nave Challenger e o homem ampliou uma fronteira desconhecida.





Ronald Reagan se reelege nos Estados Unidos vencendo a eleição em cima de Walter Mondale. Na Etiópia, 1 milhão de pessoas morrem de fome num dos momentos mais tristes do ano. Na URSS morre Iuri Andropov e assume Constantin Chernenko.






Baby Fae, o bebê que emocionou o mundo sobrevive 30 dias com um coração de macaco. O fato ocorreu nos Estados Unidos e ele foi o primeiro ser humano a passar por um xenotransplante.































O Fluminense foi o campeão brasileiro de 84. Comandado pelo paraguaio Romerito e os gols do casal 20 Washington e Assis tendo como técnico Carlos Alberto Parreira, o tricolor das Laranjeiras conquistava o segundo título brasileiro na final carioca com o Vasco.





Na Fórmula 1, Niki Lauda conquistava seu terceiro título com a McLaren numa disputa sensacional com o francês Alain Prost em ano de domínio da McLaren. Lauda venceu por meio ponto. No mesmo ano surgia o mito Ayrton Senna. O piloto fez sua estreia com a Toleman e no Grande Prêmio de Mônaco guiou como nunca na pista molhada e só não venceu porque a prova foi interrompida, mesmo assim festejou o segundo lugar.





























Nas Olimpíadas de Los Angeles os americanos paparam quase tudo se aproveitando do boicote do bloco socialista liderado pela União Soviética e o americano Carl Lewis brilhou como nunca ao ganhar quatro medalhas de ouro (100 e 200 m rasos, revezamento 4 x 100 e salto em distância) igualando o feito de Jesse Owens. A imagem mais marcante da Olimpíada foi da suíça Gabrielle Andersen que entrou cambaleando no Estádio Olímpico para completar a maratona num momento de esforço sobrehumano.







Para o Brasil, Los Angeles ficou marcada pelo brilho dourado de Joaquim Cruz, medalha de ouro nos 800 metros rasos. O país ainda conquistou cinco pratas com Ricardo Prado na natação, Douglas Vieira no judô, Torben Grael na vela e pelas seleções de futebol e vôlei masculino e os bronzes de Luís Onmura e Valter Carmona no judô. Era a melhor campanha olímpica já feita pelo país até então.



O aventureiro Amyr Klink se tornou o primeiro homem a atravessar o Oceano Atlântico a remo numa viagem que durou 101 dias, e que virou livro: Cem dias entre céu e mar.







Em 1984 o samba ganhou uma nova praça com a inauguração do sambódromo do Rio na Marquês de Sapucaí. O projeto levou a assinatura de Oscar Niemeyer e foi em 84 que aconteceu um dos desfiles mais marcantes, quando a Mangueira voltou da Praça da Apoteose e fez um novo desfile. A escola acabaria sendo a primeira campeã no sambódromo.







Em 1984 se foram Johnny Weismuller, o eterno Tarzan do cinema,o cantor Marvin Gaye, assassinado pelo pai, o cineasta francês François Truffaut, o ator Richard Burton, os escritores Truman Capote e Pedro Nava, o Marechal Lott e Enrico Berlinguer.

Em breve os fatos que marcaram 1985.

sábado, 20 de julho de 2013

O Brasil e o Mundo em 1983: Nordeste sofre com seca, surge a Rede Manchete e país sofre com saques e inflação alta

O blog Contando a História conta agora os fatos mais marcantes de 1983, um ano difícil para os brasileiros.



Na Região Nordeste, 1983 será lembrado como o ano em que a seca chegou ao auge. Iniciada em 1979 a seca deixou milhares de famílias desabrigadas sem água e as mulheres e as crianças são as que mais sofreram com a estiagem.



E se como não bastasse, a economia vivia dias de terror. A inflação chegava a incríveis 200% ao mês. O cruzeiro, moeda da época foi maxidesvalorizado. Em abril, uma onda de saques assolou São Paulo. Mais de 200 estabelecimentos comerciais foram alvo de saqueadores.



E ainda teve as enchentes no Sul do País. Somente em 5 e 6 de julho choveu na região a impressionante marca de 170 mm. E os brasileiros foram solidários e doaram mantimentos às vítimas do flagelo no Sul.

A violência também deu o tom em 83. No caso mais chocante do ano, um ladrão de banco matou a professora Laura Tomareski e sua filha Talita, de apenas 8 meses.

Dois anos depois de um enfarte, o presidente João Figueiredo teve um novo infarto e foi internado em Cleveland, nos Estados Unidos.



No mundo, 83 foi mais um ano tenso. Um avião da companhia sul coreana KAL foi derrubado por jatos interceptadores soviéticos. Todos os 269 passageiros morreram.



Depois de sete anos de ditadura militar, a Argentina voltava a respirar democracia com a posse de Raul Alfonsin, o primeiro presidente civil eleito pelo voto.







Com muita pompa a Rede Manchete estreia em 5 de junho trazendo uma programação sofisticada e seis emissoras, sendo cinco próprias. Sua chegada causou enorme rebuliço nas concorrentes. A Globo mudou sua programação duas vezes, fato jamais repetido. No mesmo ano o Fantástico completava dez anos e lançava uma obra prima criada por Hans Donner. Uma pirâmide construída por computador era fatiada em vários pedaços que viraram palco para um balé. A abertura das pirâmides, ou das trevas (daí a alusão que criei "Chicote, o show da morte") fez com que a Globo ficasse conhecida em todo mundo no quesito da computação gráfica.



No mesmo ano a Manchete lança Xuxa Meneghel, então modelo como apresentadora de programas infantis à frente do Clube da Criança.



Com uma trama recheada de comédia, Guerra dos Sexos, de Sílvio de Abreu revolucionou o horário com um ritmo alucinante e elenco de primeira, encabeçado por Fernanda Montenegro e Paulo Autran e a antológica cena em comédia pastelão no café da manhã ficou marcada na história das telenovelas.





No ano do futebol, 1983 foi azul. O Grêmio se tornava o terceiro clube brasileiro a ser campeão mundial de clubes ao vencer na final o Hamburgo em Tóquio com o infernal Renato Gaúcho marcando dois golaços, antes o clube vencia sua primeira Libertadores ao bater o Peñarol do Uruguai.





Na Taça de Ouro o Flamengo chegava ao terceiro título brasileiro em apenas quatro anos com a conquista em cima do Santos no maior público da história do campeonato brasileiro com mais de 155 mil pessoas no Maracanã. Foi o apogeu da geração de ouro de Zico que depois seria vendido para a Udinese da Itália.



Nélson Piquet se torna bicampeão mundial de Fórmula 1 superando a esquadra de franceses garantindo o título na África do Sul. E no mesmo ano Ayrton Senna conquista o campeonato inglês de Fórmula 3 e testa um carro da Williams em Donington Park a caminho de entrar na Fórmula 1.







O boom do vôlei prosseguia e pela primeira vez uma partida desse esporte ocorria em recinto aberto, no caso o estádio do Maracanã. Brasil e União Soviética reviviam a final do Mundial de 82, e desta vez o Brasil ganhou. A epopeia foi uma iniciativa de Luciano do Valle, na época narrador da TV Record e reuniu mais de 96 mil pessoas, recorde mundial que jamais foi superado. A partida serviu também para popularizar de vez o esporte que tomava o lugar do basquete como segundo esporte preferido depois do futebol, é claro.













1983 nos privou de Mané Garrincha. O craque do Botafogo, o anjo das pernas tortas perdia a batalha contra o álcool. O ano também marcou a morte de Teotônio Vilela, o Menestrel das Alagoas, um dos maiores pregadores da democracia e inspirador da volta das eleições diretas, a cantora Clara Nunes que foi vítima de choque anafilático durante uma operação de varizes, o costureiro Markito, primeiro brasileiro a morrer de Aids, a doença da década, o cantor Altemar Dutra e a autora de novelas Janete Clair, a Senhora das oito, por conta de seus grandes sucessos como Selva de Pedra, Pecado Capital, Coração Alado entre outras.

Em breve os fatos que marcaram 1984.